Nascimento da Lira {parto hospitalar}

Conheci a história da Flora em um grupo no facebook que ambas fazemos parte. Depois apareceu no meu feed de notícias uma vaquinha que as amigas estavam promovendo para ajudar a bancar os custos do parto com médica humanizada e não tive dúvida que queria participar desse momento. Conversando com a médica e com a doula disse que se a Flora quisesse o registro poderiam me chamar.

O que acredito ser mais importante no meu trabalho com registro de parto é a possibilidade de oferecer às famílias um documentário daquele nascimento. Muitas mulheres que não fazem registro ficam depois pesarosas, já que não lembram do parto com riqueza de detalhes e obviamente também não conseguem saber o que acontece fora do ambiente onde estão.

Dar a chance de depois que o parto acontece, de reviver tudo o que aconteceu de forma clara e fidedigna é o que me deixa mais feliz. Os vídeos que ficam na internet são cortes de um trabalho de parto que muitas vezes começam dias antes, com pródromos que parecem intermináveis, que as vezes parecem que vão evoluir e que muitas vezes me levam a casa do casal mais de uma vez (e eu adoro).

Temos no vimeo então um resumo em 15 ou 18 minutos dessas horas e dias que passamos juntos. As fotos carregam a cronologia, são como histórias em quadrinhos, organizadas e entregues em sequência, de fatos que adicionam detalhes talvez não percebidos pelas mulheres enquanto a partolândia é a nova morada.

Cheguei ao Santa Helena no dia 12 de maio e a Flora havia começado indução. Por necessidade de retomar o tratamento contra o câncer o mais breve possível, a equipe oncológica e a Dra Caren chegaram à uma data limite para o nascimento da pequena. Então, com muito carinho e responsabilidade a indução foi dirigida de forma lenta e dando tempo para Flora e Ramon de coordenarem os sentimentos e as sensações.

A Flora havia tido sua primeira filha na casa de parto. Esperou até o momento da pequena querer chegar ao mundo e ter que induzir o parto era uma decisão não muito fácil, mas necessária.

O colo do útero já estava favorável, um acupunturista havia sido chamado e a ocitocina estava sendo administrada em doses homeopáticas. Até o final do dia não havia tido mudanças e para já com 2 noites sem dormir, a equipe de parto decidiu suspender a indução e dar oportunidade do casal descansar. Retomariam a indução bem cedo.

Quando voltei ao hospital no dia 13 de maio, as contrações já estavam ritmadas. Flora estava sorridente, curtindo cada contração. Rebolava, dançada, sentava na bola, ia pra cama ficar na posição de quatro apoios, voltava pro chuveiro, andava mais um pouco

AuscultaLira-20-relatoCerca de 30 minutos depois que eu cheguei a bolsa rompeu, com ela deitada na cama em 4 apoios. As contrações ficaram ainda mais próximas. Era hora de descer para o Centro Obstétrico. Ela queria ir andando, mas as normas do hospital pediam que fosse de cadeira de rodas, para evitar quedas, e assim ela disse: “Ju, tira uma foto minha nessa cadeira”.

Lira-26-relato

Quando chegamos no CO, algumas modificações na sala foram feitas pela médica e pela doula para que ficasse mais confortável para o casal. A movimentação era livre. Ficou um pouco na cama fazendo força com a ajuda da barra, depois foi pra banqueta, depois pro colo do marido, depois ficou de quatro apoios, até que voltou para a banqueta como posição mais confortável.

Lira-31relato Lira-32relato

Lira-39relato

A pediatra desceu algumas vezes para verificar o andamento, mas pediu que fosse chamada apenas quando o bebê estivesse já no canal de parto. A Dra conversou com ela explicando o desejo dos pais de manter o bebê em contato pele a pele o maior tempo possível antes dos procedimentos hospitalares e o desejo de que não fosse feito o colírio, nem que dessem banho.

Ramon foi um super parceiro. Sempre atento, carinhoso, participativo. Oferecia água e chocolate. Estava sempre ao lado, dando suporte, colo e o que mais a esposa solicitasse.

Flora---face

Depois de algumas contrações na banqueta, onde ela decidiu que ficaria até o nascimento da pequena, chegou Lira, de forma suave e super gordinha, toda besuntada de vernix.

Flora e Ramon deram boas vindas, fazendo com a que a equipe inteira chorasse de emoção. Olharam admirados aquela bolinha fofa, que mesmo com a quimioterapia durante a gestação chegou grande e saudável. Chorou assim que nasceu, um chorinho rouco e forte. Foi direto pro colo da mamãe.

flora-2Para o nascimento da placenta, Flora pediu para ir para a cama e foi, com menos de 10 minutos de parida.

Lira-41liraLira-54relatoLira-48relato

Duas horas depois, Lira e Flora se separaram pela primeira vez e a pequena foi, acompanhada do pai, para os procedimentos. Não teve colírio, não teve banho, só teve vitamina k com a autorização dos pais. Ficou 15 minutos com a equipe de pediatria e voltou para o aconchego e o peito da mamãe.

Lira-49relato Lira-51relato Lira-52relatoAgradeço demais à Ramon e Flora por me permitirem fazer parte desse momento super emocionante. Foi um parto muito lindo e muito intenso, cheio de superação. Voltei pra casa e escrevi na Fanpage sobre o nascimento da pequena, porque foi absurdamente contagiante.

Anuncio-Lira

One response to “Nascimento da Lira {parto hospitalar}

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s